terça-feira, 31 de agosto de 2010

et percutiebant caput eius

Considera, che trà sorti d'Infermi si trovano. Uns querem se curar, mas não querem tomar remédio. Aquela bebida é amarga; aquele ferro, muito cruel. Outros aceitam o remédio, mas a seu modo. Como Naman, que pedia a cura para sua lepra, mas não queria se banhar no Jordão. Por fim, há aqueles que se apresentam diante do Senhor, pondo-se completamente em suas mãos. Corta-me, mas cura-me. Ora, esse é o único método de curar. Estás enfermo e de moléstia mortal; deixa que o Senhor aplique o remédio que te convém. Considera que o médico nem sempre age com sua própria mão, mas entrega a tarefa a mãos menos nobres, como de um Cirúrgico, de um Especial ou de um Servente. Assim faz Deus: tua salvação vem por vezes de alguém de baixa condição, de alguém muito inferior a ti. Não olhes quem aplica o medicamento, mas o medicamento. Considera que quando o remédio é doloroso, o que é pedido é que o sintas, o sofra. Não quereles com o médico que te corta, paga-o. Considera que nas humanas tribulações, não há tanto a dor, quanto a ignomínia, não tanto o dano, quanto o insulto. Deus assim te humilha e testa tua paciência. Um Príncipe, para aceitar uma moeda no seu reino, se conforma com sua aparência? Não, a testa no fogo. Queres que no Céu corra a moeda falsa? Così fece questa gran Santa di oggi, che può giustamente chiamarsi donna forte, per la sodezza, la qual mostrò in tante prouve, che Dio ne tolse, di dolore egualmente, e di umiliazonie.

(marzo ix, Omne modo tibi applicitum fuerit ... Eccli 2. 4)

2 comentários: